A Garupa pegou a estrada novamente. Ou melhor, o rio! E no mesmo barco estavam o ISA (Instituto Socioambiental), a Funai (Fundação Nacional do Índio), a FOIRN (Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro) e o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), entre outros parceiros. A viagem partiu de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, e visitou terras indígenas do Médio Rio Negro – as chamadas Serras Guerreiras de Tapuruquara. O objetivo? A estruturação da próxima Expedição Garupa, prevista para o início de 2017. A ideia é auxiliar as comunidades na criação de um roteiro turístico, além de aprimorar as estruturas de hospedagem e alimentação e elaborar um calendário para o turismo local. O projeto é só o primeiro passo da parceria da Garupa com o ISA. Mais seis roteiros de turismo em terras indígenas devem ser desenvolvidos na região para formar o Circuito das Serras Sagradas do Rio Negro – o que garante desde já a prospecção de mais expedições.

Em parceria com Abril – Viagem e Turismo

    Tags:
  • Viagem
  • turismo sustentável
  • Amazonas
  • expedição
  • Rio Negro
  • turismo comunitário