Santa Isabel do Rio Negro, AM

Serras Guerreiras de Tapuruquara

Terras Indígenas Médio Rio Negro I e Médio Rio Negro II

A experiência única

Dormir em rede e tomar banho de rio, passear em canoas tradicionais entre praias e ilhas, percorrer as trilhas na mata explorando paisagens inacreditáveis.

O destino

As Serras Guerreiras de Tapuruquara (Iwitera Maramuywera Tapuruquara Suiwara, na língua Nheengatu) ficam no município de Santa Isabel do Rio Negro (antiga Tapuruquara), nas Terras Indígenas Médio Rio Negro I e Médio Rio Negro II.

Contam os antigos que essas serras alinhadas eram um grupo de guerreiros que desceu da Colômbia para travar uma batalha contra a serra localizada do outro lado do rio. Amanheceu o dia, os guerreiros viraram pedra e ali estão até hoje.

É nesse território sagrado para a cultura indígena que a viagem acontece. Os roteiros percorrem o Rio Negro e visitam 5 comunidades – a imersão cultural inclui festas, danças e rituais, além de conhecimentos tradicionais de agricultura, o cultivo na floresta, os pratos típicos, a confecção de artefatos e utensílios de fibra e cerâmica e as histórias e mitos que explicam os significados de cada processo.

Está neste guia por que

– O projeto de turismo ajuda as comunidades a enfrentar problemas complexos para a gestão territorial e ambiental, como as ameaças de narcotráfico e mineração, os conflitos geracionais, o adensamento na ocupação territorial e a migração, principalmente dos jovens, para as zonas urbanas mais próximas.

– Os roteiros chamam a atenção dos viajantes para a importância de apoiar as comunidades na preservação de um patrimônio único, a Amazônia, e alertá-los para a questão da garantia dos direitos indígenas.

– A presença dos visitantes gera benefícios diretos e indiretos para cerca de 100 famílias – o dinheiro também é investido para a melhoria da infraestrutura das comunidades.

– O projeto foi desenvolvido pelas comunidades em parceria com Garupa, o Instituto Socioambiental – ISA, a FOIRN – Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro e a ACIR – Associação das Comunidades Indígenas e Ribeirinhas, e tem o apoio da Funai-Fundação Nacional do Índio.

Garupa

Tem um projeto de turismo sustentável? Quer tirá-lo do papel?

Envie sua ideia