São Félix do Tocantins, TO

Paisagem dourada

Comunidade do Prata, Jalapão

artesanato manifestação cultural

A experiência única

Depois de uma caminhada para um banho de cachoeira no Jalapão, região no leste do Tocantins, participar da colheita do capim dourado junto a uma comunidade quilombola e ouvir as histórias da região em uma roda de fogueira ao som de sanfona.

O destino

É difícil comparar o Jalapão a qualquer outra paisagem brasileira: são 32 mil km2 de área no leste do estado do Tocantins que reúnem um curioso combinado de elementos naturais: dunas, lagoas, chapadas, cachoeiras, rios, prainhas, áreas de cerrado com vegetação rasteira e campos gerais. Circular pelas estradas de areia para chegar aos atrativos e aos principais municípios da região (Ponte Alta, São Félix e Mateiros) ainda é possível apenas com veículos 4×4. A dificuldade de acesso garante, em alguma medida, a preservação do meio e contribui para manter tradições de comunidades negras cujos antepassados chegaram ao Jalapão no final do século 19 como escravos fugidos de fazendas na Bahia.

Uma dessas comunidades é o povoado do Prata, com cerca de 100 famílias, que recebeu capacitações e recursos com o apoio do estado e de editais para estruturar um programa de turismo comunitário. Quem decide passar alguns dias por aqui (há hospedagens comunitárias disponíveis) tem a chance de conhecer o dia-a-dia da comunidade de perto, seja visitando os quintais das casas e a produção de rapadura, ajudando a colher as frutas do cerrado que são usadas para as receitas tradicionais servidas no almoço ou testemunhando a produção do famoso artesanato de capim dourado. Para explorar os arredores, as bicicletas disponíveis para aluguel são uma ótima pedida – principalmente se for para conhecer a Cachoeira do Prata, a seis quilômetros da comunidade. Mas melhor não se afastar muito pra não perder a roda de fogueira com contação de história ao som da sanfona no final do dia.

Está neste guia por que

– O turismo é gerido pela comunidade por meio da Associação de Pequenos Produtores do Povoado do Prata e a renda distribuída pelos comunitários.

– Valoriza saberes e fazeres de comunidades remanescentes de quilombos.

– Utilizam embalagens biodegradáveis (folhas e fios de buriti) na produção dos seus doces artesanais.

– Respeita o período de colheita do capim dourado, gerando renda por meio do artesanato com baixo impacto para o meio ambiente natural.

Garupa

Tem um projeto de turismo sustentável? Quer tirá-lo do papel?

Envie sua ideia