Iranduba, AM

Pra manter a floresta em pé

Comunidade Tumbira, Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro

pousada preservação ambiental

A experiência única

Avistar jacarés, botos cor-de-rosa ou mesmo o lendário uirapuru escondidos no meio da floresta amazônica e conhecer os causos e as histórias da comunidade guardiã dessas riquezas

O destino

Tumbira, comunidade a 74 quilômetros de Manaus que já teve sua economia baseada na extração ilegal de madeira, é hoje um exemplo de desenvolvimento sustentável na Amazônia. A história do lugar mudou com a criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro, em março de 2008. O desmatamento foi proibido e as famílias que dele viviam começaram a buscar outras formas de sustento por meio de incentivos do poder público, de organizações do terceiro setor e da iniciativa privada. Uma delas foi o turismo de base comunitária, hoje materializado na Pousada Garrido, administrada por Roberto Garrido. Aqui, o turista prova a culinária tradicional – peixes frescos, pato selvagem e frutos como o taperebá estão incluídos no cardápio -, conhece mais sobre os pássaros da região, visita os botos-cinza, explora o arquipélago de Anavilhanas e ainda é convidado a participar de uma focagem de jacarés.

Está neste guia por que

– Fomenta a economia de comunidades do entorno, contribuindo indiretamente para o sustento de cerca de 2 mil pessoas.

– Sugere roteiros de baixo impacto que valorizam o conhecimento da gente do lugar.

– Mantém a floresta de pé ao mesmo tempo em que usa seu potencial para gerar renda.

– Promove o intercâmbio entre culturas.

Garupa

Tem um projeto de turismo sustentável? Quer tirá-lo do papel?

Envie sua ideia