São Paulo, SP

Day Use na Quebrada

Grajaú e Ilha do Bororé

vivência urbana

A experiência única

Um dia para vivenciar uma São Paulo que funciona sob outro ritmo, com direito a um tour pela represa Billings, uma imersão na agricultura orgânica e um encontro com a arte através de dois projetos que investem na preservação da cultura e da biodiversidade local.

O destino

Divididos pela represa Billings, o bairro do Grajaú e a Ilha do Bororé, a 30 quilômetros do centro de São Paulo, convidam o visitante a conhecer o estilo de vida da “quebrada” paulistana. Ali, em meio à Mata Atlântica, onde a atmosfera bucólica se mistura com a urbana, algumas experiências de inovação social têm mudado a realidade das comunidades.

O primeiro contato com essa São Paulo “lado B” acontece na caminhada pelo bairro do Grajaú na companhia de um anfitrião local, integrante do projeto Meninos da Billings. Além de promover atividades educacionais para os jovens da região, a iniciativa oferece o transporte que conduz os visitantes pela represa, navegando rumo à Ilha do Bororé, em barcos de pescadores.

Durante a travessia, o cenário urbano vai ficando para trás, e um certo clima rural se aproxima com o desembarque na Ilha. Os visitantes conhecem a vila histórica, admiram os murais, aprendem sobre a sua história e a importância da produção orgânica de alimentos – que dá origem ao almoço. O Sítio Paiquerê, uma das paradas do roteiro, é um exemplo disso, com sua enorme área verde, às margens da Billings, e sua surpreendente arquitetura de estilo modernista e plantações de orgânicos.

À tarde, o grupo explora os lados artístico e cultural da ilha com uma riquíssima visita à Casa Ecoativa, construção de 1904 localizada dentro da APA – Bororé-Colônia, e tombada como patrimônio histórico da cidade de São Paulo. Ali, entre uma conversa e outra, percebe-se potência de um coletivo: há atividades ligadas à biodiversidade da região, exposições, oficinas e saraus. É justamente com uma dessas vivências culturais que a visita termina – hora de assistir a uma apresentação de música ou poesia, participar de uma roda de conversa e relembrar todos os ensinamentos que essa ilha traz sobre uma São Paulo alternativa.

Está neste Guia por que

– O roteiro foi criado e realizado pela Vivejar, operadora com experiência em projetos de turismo sustentável em diversas regiões do Brasil.

– Desenvolvido em conjunto com as comunidades locais, o passeio tem os objetivos de preservar a cultura, divulgar as iniciativas sociais e gerar renda: o grupo Meninos da Billings, o Sítio Paiquerê e a Casa Ecoativa recebem parte do valor pago pelos visitantes.

Garupa

Tem um projeto de turismo sustentável? Quer tirá-lo do papel?

Envie sua ideia